domingo, 25 de maio de 2014

PEDRO, TU ÉS PEDRA E SOBRE TI EDIFICAREI A MINHA IGREJA


. Conforme a comprovação arqueológica científica promovida pelo Arqueólogo Antônio Ferrua,que dirigiu a Comissão Pontifícia Arqueológica entre os anos de 1947 até 1968, é provado que o Túmulo de São Pedro é legítimo e que a ossada que lá está depositada são, de fato, os ossos de São Pedro (conforme Jornal L’Oservatore Romano 29/05/2006). 

. A Basílica de São Pedro é um templo que recebeu sucessivas construções. A primeira construção começou como Papa Constantino, em 315 e só terminou sob o Pontificado de Urbano VII, 120 anos depois. Em 1506 ergueu-se a atual basílica sobre a antiga, conservando-se a construção antiga completamente intacta no subsolo do último templo. Quando as construções das basílicas foram iniciadas e concluídas não se sabia da existência do túmulo do Príncipe dos Apóstolos. 

. Esse túmulo só foi descoberto porque o altar da primeira basílica, iniciada pelo Papa Constantino, começou a afundar, pois o solo sobre o qual ficava começou a ceder. O Papa Pio XII solicitou que a referida Comissão Arqueológica fosse acionada para realizar uma construção que desse sustentação ao altar principal da basílica que estava afundando. Como a construção já pertencia ao Patrimônio Histórico da Humanidade, nenhuma pedra poderia sair do lugar sem a fiscalização constante dos arqueólogos da referida Comissão. 

. A solução para não violar a construção original foi a de cava um túnel a quatro metros de profundidade. A descoberta assustou a todos os arqueólogos. Descobriu-se que a Basílica de São Pedro havia sido construída sobre um cemitério que datava da época dos primeiros cristãos. Em muitos desses túmulos haviam inscrições de que morreram sobre a fúria do imperador Nero, nos circos que se montavam na época para martirizar os cristãos. 

. Porém, o que mais surpreendeu foi um túmulo maior que os outros, talhado em pedra, cuja inscrição em Latim dizia: “PEDRO ESTÁ AQUI”. A ossada foi examinada exaustivamente entre os anos de 1962 a 1968. As conclusões que o Arqueólogo Antônio Ferrua chegou são impressionantes. Pelas características das substâncias químicas contidas na ossada, essa pertence seguramente a um homem que viveu a maior parte de sua vida próximo do Lago de Tiberíades, na Galiléia. Não tinha como negar, a Comissão Pontifícia Arqueológica teve que decretar com base científica: são de fato os ossos de São Pedro. 

. Os cientistas ficaram intrigados pela posição do túmulo. Ele fica exatamente embaixo do altar principal da Basílica, que é todo de pedra. E sob a cúpula, cujo centro está centrado matematicamente sobre o túmulo, a 135,5 metros de altura,está estampada a seguinte inscrição: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário