segunda-feira, 14 de abril de 2014

DORES DE MARIA na Segunda-feira Santa


DORES DE MARIA
Reza-se uma Ave-Maria.

Oração: Virgem Dolorosíssima, seríamos ingratos se não nos esforçássemos em promover a memória e o culto de Vossas Dores. Vosso Divino Filho tem vinculado à Devoção de Vossas dores, particulares graças para uma sincera penitência, oportunos auxílios, e socorros em todas as necessidades e perigos.

Leitor: Primeira espada a transpassar a Alma
- Conforme a profecia do Velho Simeão, no Templo. 

Leitor: Magoada Senhora e Mãe Querida das Dores, vejo-vos com trêmulos braços apresentar o Vosso Filhinho, aos braços de Simeão, e em retorno, ouço este Santo velho dizer-Vos: "- A Tua Alma será Transpassada por uma grande Dor aguda!" Já começa a cumprir-se a profecia, por que ao ouvirdes estas palavras começais a sentir já a primeira lançada, que não sairá mais do Vosso Terníssimo Coração, enquanto estiveres na Terra.

Leitor: Segunda espada 
- A fuga da Sagrada Família para o Egito. 
  
Leitor: Virgem Santíssima e Mãe Querida das Dores, sai  apressada, apertando ao Seio Virginal Vosso Infinito Tesouro e corre terras estranhas com tantas fadigas, para O salvar da fúria do impio Herodes. Reparte conosco esta Dor, alcançando-nos a Graça de fugir de todas as ocasiões de matar em nossa alma, a Graça Divina, o fruto de Vossas Dores.

Leitor: Terceira espada
- Nossa Senhora perde o seu Divino Filho por três dias.

Leitor: Mãe Santíssima das Dores, Nossa Dulcíssima Rainha, ouve os angustiados suspiros com que, por três dias contínuos debulhada em prantos, buscais o Vosso Amável Filho, sem que entre conhecidos e parentes tenhais novas Dele... Reparte conosco esta Dor Prolongada, alcançando-nos a dor de o haver tantas vezes perdido pelo pecado, e a Graça de nunca mais nos apartarmos Dele até que (pelo Vosso Coração Imaculado, venha a) nos unir a Ele para sempre no Céu.

Leitor: Quarta espada 
- O encontro com Nosso Senhor todo flagelado 
e carregando a sua pesadíssima Cruz nas costas.

Leitor: Mãe Santíssima das Dores e nossa Terna Senhora, escutamos Vossos soluços por entre o tropel do povo e soldados, buscando o Vosso Jesus, e o encontrais aí Senhora! Curvado debaixo do grande madeiro, esvaído de forças, lançando-lhes (aos Seus algozes) olhares de compaixão, que dobram a Vossa amargura. Reparte conosco a Vossa Imensa Dor, alcançando-nos a Graça de conhecermos a malícia dos nossos pecados, com que oprimimos o ombro de Vosso Jesus, e o Vosso Terníssimo Coração.

Leitor: Quinta espada 
- A bárbara crucificação e morte de seu Divino Filho.

Leitor: Mãe Santíssima das Dores, nossa Amabilíssima, que vemos neste momento! O Vosso Divino Filho alçado em uma Cruz, pendente de três cravos, morrer depois de três horas de uma tormentosa agonia. Reparte conosco, Aflitíssima Mãe, a Vossa Dor, alcançando-nos a Graça de morrer na santa amizade de Deus, e em Vossos Santíssimos Braços dizendo: - Jesus e Maria, nós vos damos o nosso coração e a nossa alma.

Leitor: Sexta espada 
- Nossa Senhora recebe em seus braços seu Filho 
inteiramente chagado e transpassado pela lança. 

Leitor: Ó Mãe, a mais amargurada de todas as mães, vemos  tomar o Vosso Divino Filho em Vossos Braços, mas Ele está Morto...Ó que imensa Dor! Sois aqui a Rainha dos Mártires! À Vossa Dor, não há dor que se possa igualar! É um imenso mar de amarguras... Reparte conosco a Vossa Dor, alcançando-nos o dom das lágrimas, e a compaixão pelos sofrimentos do Vosso Divino Filho, nosso Salvador... Fazei com que esta Vossa Dor penetre bem no íntimo de nossa alma e nos dê a fome de receber a Imaculada Comunhão.

Leitor: Sétima espada
- Nossa Senhora acompanha o seu Divino filho à sepultura.

Leitor: Ó Mãe Querida das Dores, nossa Mãe Dolorosíssima, chegou finalmente ao termo a Vossa Dor. O Vosso Coração transborda aqui de amarguras! Ficais na mais desolada viuvez... Reparte conosco esta Dor sem alívio, alcançando-nos a Graça de vivermos suspirando pelo Céu, onde poderemos contemplar a Jesus, já sem véus, e a Vós, Mãe Querida do Belo Amor.

Reza-se Três Ave-Marias em reverência às Lágrimas da Santíssima Virgem para lucrarmos as Indulgências concedidas pelos Sumos Pontífices, impetrando-lhe verdadeira dor de nossos pecados. 

Oração final: Dai-nos, Senhora a Graça de compreender o oceano de angústias, que fizeram de Vós a "Mãe das Dores", para que possamos participar de Vossos Sofrimentos, e Vos consolemos pelo nosso amor e nossa fidelidade. Choramos Convosco, Ó Rainha dos Mártires, na esperança de ter a felicidade de um dia nos alegrarmos Convosco no Céu... Perante a Vossa Clemência, nós Vô-lo pedimos, Senhor Jesus Cristo, interceda por nós, agora e na hora da nossa morte, a Bem-Aventurada Virgem Maria, Vossa Mãe, cuja Alma Santíssima foi transpassada por uma espada de Dor. Por Vós Jesus Cristo, Salvador do mundo, que, com o Pai e o Espírito Santo, Viveis e Reinais por todos os séculos dos séculos. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário